Dor no Quadril - COI

Dor no quadril

As doenças que acometem o quadril são inúmeras e podem ser congênitas ou adquiridas. Como essas doenças provocam alterações importantes na marcha, devem ser diagnosticadas e tratadas de forma adequada para evitar graves sequelas no adolescente, no adulto jovem e em idosos.

Imagem Dor no quadril

Podemos dividir as síndromes dolorosas mais comuns em:

  • Síndrome mecânica;
  • Síndrome inflamatória;
  • Síndrome da dor referida.

Na síndrome mecânica alguns exemplos clássicos são o impacto fêmoro-acetabular, tendinites, bursites, as displasias, os ressaltos, fraturas e artroses que podem ser diagnosticadas pelo exame físico na mobilização e palpação do quadril.

Na síndrome inflamatória temos a sinovite, as artrites e as patologias reumáticas e tumorais que são normalmente dores difusas articulares e extra articulares. Na síndrome da dor referida temos a sacroileite, a pubalgia, a hérnia inguinal e afecções da coluna, são dores que irradiam para o quadril e difíceis de serem reproduzidas pelas manobras do exame físico.

É importante saber diferenciar e identificar a origem e a causa das dores se é intra ou extra-articular já que diversas patologias articulares acabam evoluindo para tratamento cirúrgico e as extra-articulares são normalmente de tratamento clínico. As dores no quadril são muito comuns em atletas amadores e profissionais, porém afeta qualquer faixa etária e sexo. Para fazer o diagnóstico completo precisamos de uma adequada sistematização da anamnese e do exame físico e podemos utilizar de serviços de imagem como radiografias, ultrassonografias, ressonância magnética e de exames laboratoriais.

O tratamento clínico consiste no uso adequado de anti-inflamatórios, analgésicos, relaxantes musculares, infiltrações, fisioterapia analgésica e motora com fortalecimento da musculatura ao redor da cintura pélvica, correção postural, correção da marcha, correção da discrepância dos membros inferiores e da pisada.

Autor: Dr. Alexei Haddad